sábado

Amo o Outono

Adoro o Outono. É um daqueles temas que me fazem desejar ter talento para escrever como um escritor, para por em palavras o que parece inexprimivel e no entanto... Sem talento, tenho de me apoiar em palavras como magia. Quanta magia existe num bem-estar feito de nenhuma causa para lá de estar vivo e ser capaz de sentir, bem, bem? É, portanto, a magia de estar vivo; um imponderável, portanto. Mas o Outono é um imponderável inexprimível de uma classe superior. Será que gosto especialmente de dourados? Porque o Outono é ouro. E qual o prazer do primeiro frio? No Outono caminho muito, vagueio pelas ruas, pisando a terra molhada, o crispar das folhas secas, na urgencia de completar um sonho perecível. Deixo de fumar, para ter espaco para o cheiro do Outono nos meus pulmoes, metendo-o também nas bochechas, reservando-o para o longo ano, até ao próximo Outono. As folhas chovem sobre mim e eu sorrio como se caíssem por mim: é o Outono a dialogar.

É tao difícil exprimir o Outono, que só posso concluir, que amo o Outono. Este é o momento mais luminoso e aguardado do meu mundo. Está a comecar e a mim só me apetece saltar, saltar como um boneco animado, saltar sobre o sofá e a cama. Sinto-me como quando era crianca, dentro do carro, a caminho das férias anuais na praia. A expectativa do que está a comecar, todos os dias de Outono que estao para comecar, nao sei onde meter o meu entusiasmo e rebento de alegria! É Outono!

3 comentários:

underadio disse...

Tb gosto do Outono, talvez de forma menos euforica mas tb gosto, é a minha estação preferida.Embora tenha nascido na Primavera, gosto mais do Outono.

Rita Maria disse...

Sim, Outono ao poder!!

Helena disse...

Só tem um pequeno senão (sim, a vida não é perfeita): quando o pessoal que tem cães sai à rua com os bichos, e não limpa a porcaria deles, e eu vou depois descansadinha da vida e não reparo que semi-encoberta pelas folhas está uma mina.

Descobri a paixão do Outono na estrada que vai de Darque para a praia do Cabedelo. Tinha cinco anos, e andei aqueles dois quilómetros fazendo rebentar ondas de folhas à frente dos meus pés.
O cheiro, o ruído, as cores - uma festa!