sexta-feira

Apenas

Andava no Público a procurar o MEC e vejo este chamariz de crónica da Helena Matos:

"No dia em que escrevo, quarta-feira, confirma-se que mais uma vez uma cadeia de televisão europeia, a France 2, transmitiu imagens falsas numa reportagem que dedicou ao ataque israelita a Gaza. Crianças mortas e uma casa destruída ilustravam os efeitos dramáticos entre os civis palestinianos dos bombardeamentos efectuados pelo exército de Israel.
Poucas horas após a emissão da reportagem concluía-se que destas imagens apenas os cadáveres e o prédio destruído não foram ficcionados."

Fui logo ao Blasfémias para ver o que tinha sido ficcionado (não achei). Crianças feridas, peluches semeados pelos escombros, mulheres pagas para carpir? Afinal, o resto são apenas crianças mortas. Apenas. Apenas? Desculpe, APENAS?

2 comentários:

Helena disse...

"apenas" - tens toda a razão.

Mas...
Se bem entendo a frase, e cruzando com outra informação que li no Spiegel online, o Hamas pega nos cadáveres, e leva-os para um cenário arranjado especialmente para a fotografia.
Já não bastava a morte de uma criança - para maior perversão, usam o seu corpo para fins publicitários.
E ai da mãe da vítima se achar que o Hamas não tem o direito de fazer isso. Nos tempos que correm, é muito fácil morrer em Gaza - e não só por contas do exército israelita.

abrunho disse...

Sim, eu pensei que teria maozinha do Hamas no que faltava da crónica. Mas se a crónica anunciada tivesse sido escrita pela Esmeraldina Carrapato, eu nao me teria enfurecido, mas da Helena Matos já há cadastro que sim, para ela e outros é só mesmo apenas. Explicarei.