quinta-feira

Voces ser esquisitos

Os portugueses adoram os seus telemóveis. Um dia hao de nascer já com telemovel incorporado e este com muitas capacidades. Podem-se ver filmes nos telemóveis. Nao consigo imaginar que alguém queira ver um filme num telemóvel, mas presumo que sim, coisas mais estranhas acontecem. Quando o bébé nascer, em vez de perguntarmos se é menina ou menino, pergunta-se pelo telemóvel, em vez de perguntarmos pela saúde, pergunta-se se tem rede. O meu telemóvel velhinho, que nem pode tirar fotos, que é uma daquelas coisas que já nem se pergunta se pode, nao me preparou para o linguajar técnico que os portugueses tem para descrever os seus telemóveis com ar de mini-televisao. No autocarro soube de coisas muito privadas em conversas de horas. Poderia ter posto os tampoes nos ouvidos, mas estava perplexa com o desnudamento e com a minha aparente invisibilidade e pouca importancia. No metro, um rapaz fazia chamadas umas sobre as outras, caminhando pela carruagem, saltitando pelos bancos, nos intervalos das chamadas parecia perdido. A minha sobrinha, que dormiu no meu quarto, deitava um alo para o escuro do meu sono enquanto, presumo, mandava mensagens. Havia telemóveis pelos móveis, entre os pratos á hora das refeiçoes, a mascararem-se de comandos. Na véspera de Natal, fiquei a falar prá parede enquanto quase todos os meus familiares que sao todos portugueses se afadigavam a responder ás boas festas. Ei, pessoal, vim da Alemanha para falar convosco. Nao, desculpa, temos de responder, nao, eram obrigados a responder, disseram-me, senao profundas rupturas sociais gerar-se-iam e imagino eu, no dia seguinte um vazio instalar-se-ia e ninguem jamais comunicaria. O desastre seria que talvez nao fosse mais preciso usar o telemóvel. Talvez devesse ter ficado na Alemanha, ligado o meu telemóvel e mandado mensagens. Isto se eu ainda fosse portuguesa, mas consigo ainda pensar o mundo sem telemóvel.

5 comentários:

underadio disse...

LOLLL.
Como te compreendo.Tb eu tenho uma "pendenga" com um telemóvel mas é só um em particular. Um dia destes, lá terá de ser uma carta...tsss. Agora, em relação a este ano tentei não sucumbir à vontade quase, quase irreprimível de responder a todas as msg de boas festas q recebi.
; )

abrunho disse...

Eu imagino que quando retornar a Portugal vou pelo mesmo caminho...

jj.amarante disse...

Tenho duas conjecturas frágeis para explicar a grande popularidade dos telemóveis em Portugal e a não tão grande popularidade dos mesmos na Alemanha: nos países bem organizados e habitados por pessoas mais disciplinadas, a valia dos telemóveis é menor pois os eventos correm mais como o previsto, as pessoas chegam a horas aos encontros, etc. Num país em que acontecem mais coisas inesperadas a valia dos telemóveis é muito maior. Embora as pessoas em Portugal cheguem muitas vezes atrasadas sabem que faz uma grande diferença se telefonarem em cima da hora a dizer que precisam de mais um quarto de hora do que se chegarem atrasadas sem nenhuma desculpa prévia. Os SMSs têm uma explicação semelhante: enquanto os alemães já enviaram os cartões de Boas Festas e os e-mails no princípio de Dezembro, os portugueses só conseguiram arranjar tempo para isso no próprio dia 24/Dez.

Helena disse...

Eu, portuguesa residente na Alemanha, ainda não mandei os postais de boas-festas e alguns presentes...
Shame on me.

Os telemóveis começam a ganhar popularidade na Alemanha. Nesta passagem de ano, fiquei surpreendida com os nossos amigos e até com o meu marido, com os respectivos telemóveis a tilintar sms ó pra cá e ó pra lá.

Modernices...

Muitas vezes esqueço-me de levar o meu telemóvel. As pessoas que precisam de me contactar ficam danadas, porque o meu esquecimento provocou a entrada de uma pequena areia na engrenagem. Habituaram-se a poder contactar-me a qualquer momento, já não sabem o que fazer se não puderem falar comigo no momento em que lhes dava jeito.
Acho que não podemos fazer muito para evitar esta alteração dos costumes.

O meu problema com alguns familiares portugueses não era bem o telemóvel, mas a televisão. Cá em casa, ligamos a televisão quando queremos ver um programa concreto. Em Portugal, está sempre ligada em quase todas as casas que visitamos. Para os nossos hábitos alemães, isso é sinal de falta de consideração. "Então nas poucas horas que passamos juntos tu divides a tua atenção entre as visitas e a tv?!"
Mas não tem nada a ver connosco, é mesmo só um hábito.

abrunho disse...

"Acho que não podemos fazer muito para evitar esta alteração dos costumes."

Eu desliguei o telemóvel. Houve uma altura da minha vida em que usava o telemóvel como os outros, menos quantidade nas mensagens porque nao gosto. Mas a certa altura esta coisa de eu ser obrigada a andar de telemóvel para todo o lado começou a chatear-me. A gota de água foi quando comecei a receber mensagens como "Estou no bar XXX. Um gajo acabou de vomitar a dois passos de mim." "Acabei de entrar na frutaria. Os meloes estao a metade do preço." "Estou na praia YYY. O por do sol é magnifico." Eu gosto dos meus amigos como toda a gente, mas nao me apetece receber informaçao constante do que eles estao a fazer a cada segundo da vida deles. Convidem-me para um café e contem-me da ida ao bar e dos meloes e do por do sol. Mas deixem-me a mim viver a minha vida em paz. Repito: Em Paz.

A televisao já me irritou, mas nesta visita nem me dei conta. Parecia ser somente música de fundo. Nao me senti ignorada em favor da caixa.