segunda-feira

Contaminada

O que eu acho mais incrível é a polícia-de-choque me por a falar de esquerda e direita da forma como escrevi, numa guerrinha de manifestacoes sem as ideias por baixo. Só por isto nao lhes perdoo. Será que posso votar nas eleicoes de Outubro? Já vou analisar isto e votar no tipo mais anti-polícia que houver.

P.S.: Nao lhes mando um molotov da proxima que os vir porque sou pacifista, além de cobarde.

4 comentários:

Helena disse...

Onde foste buscar a ideia que a polícia proteje os neonazis?
Não é isso que tenho visto por aqui.
Não percebo muito dessas coisas, mas parece-me que a lógica é assim:
1. pedes autorização para fazer uma manifestação; dão-te autorização; a polícia protege o pessoal da manifestação (se vir que pode dar para o torto)
2. pedes autorização para fazer uma manifestação; não te dão autorização; a polícia carrega sobre o pessoal da manifestação (e coitado de quem se atravessar pelo meio)

Uma vez organizei uma vigília pela paz (contra o início da guerra do Iraque) na praça principal de Weimar. Só agora me apercebo que podia ter tido muito azar, porque não pedi autorização...

abrunho disse...

Portantos, estás-me a dizer que a polícia protege os neo-nazis, porque estes tem o tradicional espírito alemao... Tem lógica.

Helena disse...

Não estou a dizer nada disso.
Sei de muitas manifestações de neo-nazis que foram proibidas. E de outras que foram autorizadas (porque eles não dizem directamente ao que vão, e o sistema democrático não tem como lhes negar o direito a manifestar a opinião). Nesses casos, geralmente organiza-se uma contra-manifestação, e os desgraçados dos polícias aparecem pelo meio, a levar garrafas de um lado e do outro.
Nestes casos, sou um bocadinho "polizei rein".

abrunho disse...

:)

Eu estava a provocar-te.

Mas a questao do desperdício policial para mim continua. Eu fui a uma manifestacao na Alemanha e mesmo assim sem entusiasmo. Tenho amigos que o fazem, mas pessoalmente nao penso que as manifestacoes sirvam para alguma coisa. Mas essa era uma boa causa e deixei-me arrastar. Tipo ir a um funeral, mesmo que nao se tenha gostado do falecido. A sensacao que eu tive era que eram dois policias por manifestante. E nao pareciam policias, pareciam do exercito. Eu nem queria acreditar nos meus olhos, em tudo o que transportavam, eu olhava para as armas e perguntava-me se eram verdadeiras, mais umas botijas que eu nao tenho a minima ideia para que serviam. Mais os tanques de agua. Foi para mim assustador. E' dificil para alguem que nao pensa estar a cometer um crime ver-se rodeado de tal aparato.

Este fim-de-semana, sem ter de forma alguma antecipado, vi-me de novo rodeada por outro desperdicio. Nao me senti nada polizei rein, quando eles comecaram a correr rua abaixo e na confusao eu podia ter caido ao chao. Fiquei um pouco tremeliquenta. E depois uma pessoa olha á volta procurando a necessidade de tal aparato e consegue com esforco ver que e'devido a uns adolescentes armados em galo. Um exercito que parecia equipado para o Iraque!

Isto parece-me querer matar uma mosca com uma pistola.

Quando eu me quis vir embora, pois nao estava de forma alguma a gostar da suposta festa para que fui convidada, a zona tinha sido bloqueada pela policia. Tive de dar uma volta gigantesca para ir para minha casa, quando em situacao normal teria chegado num decimo do tempo.

E'um exagero. E'obvio que eu desde que cheguei 'a Alemanha nao tenho uma boa percepcao da policia, ainda por cima quando amigos meus sofreram na pele os efeitos de estarem no local errado na hora errada, ou que sofreram arbitrios policiais injustificados.

Mas devo dizer que o meu poste contaminada foi acerca de me ter deixado envolver nos discursos a decorrer na tal "festa". A certa altura perdemos a objectividade e entramos num delirio ideologico que no dia a seguir envergonha. Na minha memorizacao do evento vou fingir que estava bebada.