quarta-feira

Filha ingrata jura que ama quando se lembra

Pois sim, há net em Viseu, mas isto de férias, é até para os normais passatempos.

Retornei e vim muito bem, muito revigorada com aquele je ne sais quoi que os ventos de Portugal transportam. Anda tudo anafadinho a falar de uma crise que é como as bruxas. Pelas janelas de Viseu as bandeiras seguiam-se preservando-me de não saber em que país estaria caso batesse a cabeça e acordasse amnésica. Mas de resto ninguém fala seriamente da seleção, a não ser para as chalaças e não é nada irritante a não ser que se ligue a televisão fora da RTP2, pelo que concluo que o carpir pela blogosfera é de quem precisa de se carpir. As pessoas olham-me tristemente por viver em país em que não se sabe o que é comer ou beber bem, o que eu confirmo. Não minto e as pessoas ficam muito satisfeitas, o que me agrada.

Eu sei, devia ir mais vezes, mas eu esqueço-me do que não está à frente do meu nariz. Além que o meu coração tem a mania danada de vir comigo para onde quer que vá. Mas vou escrever na minha agenda em certos dias para me lembrar de ter saudades. A culpa é minha, não é vossa.

9 comentários:

Helena disse...

Que bandeiras? Aquelas chinesas que têm templos em vez de castelos?
Foste de férias para Macau?!...

Achas mesmo que a Alemanha é um país onde não se come nem bebe bem, ou dizes isso só para não aumentar a emigração para este lado?

Eu acho que em Portugal há pouca cultura de comer. É mais enfardar. Mas se calhar é por escolher mal os restaurantes. Um dia destes (quer dizer: no próximo verão) quero muito ir a este:
http://www.abocanhado.com/intro.html
(O Abocanhado, em Brufe)

Também há lá perto o "Espigueiro", no Soajo, que serve uma costela grelhada de barrosão que é de chorar por menos (sim, escorre para fora do prato). A comida é muito boa, mas o ambiente fica um tanto ou quanto aquém do preço...

E depois, na maior parte dos restaurantes portugueses que conheço, é a despachar. Como se as pessoas não fossem ao restaurante, mas apenas comer.

abrunho disse...

Santo Cristo de que parte de Portugal és?

Acho que os alemães não sabem comer e beber. Acho mesmo. As comidas tradicionais são coisas a afogarem-se em molhos pegajosos e batatas de todas as formas, bolinhos redondos de batata, bolinhos triangulares de batata, bolos redondos de batata com uma consistência de cola, bolinhos cilindricos de batata (tb costumo gostar destes), batatas fritas grossas, batatas fritas finas, batatas fritas que foram ao forno (que adoro). A comida moderna é massa. Massa para a esquerda e para a direita, com algum asiático pelo meio. Gosto da comida turca. Só o facto de que estou a trazer outras comidas para falar de comida alemã demonstra alguma coisa. Quando me trazem vinho para casa, 90% das vezes bebe-se, depois muita cerveja e eu aí só posso ser severa, porque não aprecio cerveja fora de uma esplanada com sol por cima.

O prato-bandeira de Hamburgo é isto!!!!!!!!

Eu presumo que tens ido almoçar a restaurantes em que se vai comer o prato do dia em dia de semana. Tens de ir com autóctones, que saibam comer. E agora vou limpar a saliva que me escorre pelo queixo, que me lembrei das morcelas, entrecostos, grelos, feijoada, nacos de porco preto com castanhas, bacalhau com natas, queijo da serra, que enfardei nas últimas férias.

abrunho disse...

E adiantando-me às críticas, se me dizes que o que eles fazem às batatas é o mesmo que nós fazemos ao bacalhau, eu contraponho que o que fazemos ao bacalhau não é o mesmo que pegar num tubérculo, esmigacha-lo e recompo-lo em todas as formas 3D conhecidas.

E o que eles fazem às pobres couves! Eu tenho a sensação que eles não cozinham, eles assassinam os ingredientes esmeradamente.

Helena disse...

Não digo de onde sou, porque me arrisco a ser linchada quando por lá aparecer de novo...

Da próxima vez tenho de ir espreitar por Viseu, pelos vistos tem lá os melhores restaurantes do país.
(Eu conhecia lá o Cortiço, com o seu bacalhau podre e o arroz de coelho bêbado de três dias - ainda existe?)

abrunho disse...

Ah, sim? Nao sabia. Já comi coisas delirantes fora da Beira Alta.

O "Cortiço" ainda existe, mas é considerado pelos nativos uma empolaçao turística. Na mesma área, há o "Muralhas da Sé" e o "Mesa da Sé". O meu absoluto preferido é fora da cidade, junto ao aeródromo, o "Clube dos caçadores".

Helena disse...

Tem dó! Eu saí de Portugal há 20 anos.
"No meu tempo" havia o Marquês de Marialva, perto de Coimbra. E mais alguns que o Alzheimer já tem levado.
Dás-me uma lista de bons restaurantes no país todo?
Em troca, até consideraria dar o dito por não dito...
:-)

abrunho disse...

ehehehehe. Não tenho conhecimentos gastronómicos dessa monta.

Helena disse...

Que chatice.
Estava a pensar que era desta que ia conseguir tirar a barriga de misérias!
;-)

underadio disse...

Com tanta coisa, qq dia têm-me a cozinhar para vocês, LOLLL.Quais restaurantes quais carapuças (carapuças?!nuca percebi esta expressão).
Menina Abrunho, aproveite as férias para descansar e isto não é tom paternalista nem nada q se pareça é apenas o singelo desejo do seu bem-estar.Não me pergunte porquê q não sei responder.
Mas boas férias na mesma.