domingo

Filme sente bem

Talvez seja o papel soberano do cinema: fazer-nos sentir bem. Mais importante que por-nos os cabelos de pé ou em suspense. Sinceramente, nao é memorável aquela vez que saímos do cinema a traulitar a banda-sonora e a achar que a vida é bela? Muito melhor, que aquela vez em que ficamos com os olhos em bico com os lábios do Brad Pitt, ou aquela vez em que achamos o argumento inteligentíssimo e juntamos cenas como pecas de puzzle... espera, esta é boa...

O dois papéis soberanos do cinema: deixar-nos, após ver o filme, a sentir-nos bem e entreter-nos, após ver o filme, a saborear um intrincado argumento.

Juno, faz-nos sentir bem, porque nos apaixonamos. Apaixonamo-nos pelo filme e pela interprete. Apaixonamo-nos porque tudo é muito giro e jovem e fresco. As pessoas sao todas boas e mesmo quando sao más, nao sao muito más. As pessoas sao razoáveis, tem um sentido de humor que decididamente lhes faz bem á pele e a interprete tem a língua rápida e aguçada, que é uma substituiçao benévola para a nossa necessidade de haver alguém a fazer mortos, nem que seja na pista do sarcasmo. A desonestidade deste filme é que para além de giro, é inteligente e isto é uma injustiça. Toda a gente sabe que para o mundo ser justo, as louras tem que ser burras! Toda a gente sabe, que é necessário por um lenço sobre os olhos da justiça. Toda a gente imagine que é gira e docemente inteligente.

7 comentários:

Helena disse...

Incrível coincidência - ontem um amigo que mora em LA e vive e respira cinema disse-me que esse é um filme a não perder, e agora vens tu dizer o mesmo.
Mas esse filme não sai só lá para Março?!
Ou chega tudo mais depressa a Hamburgo?

abrunho disse...

Tenho coneccoes... psssst

Helena disse...

Trabalhas no sector da tradução de filmes?...
Arranjas-me um emprego?

Tenho uma amiga (em Hollywood) que se especializou em tradução de filmes pornográficos. Não é preciso pensar muito para traduzir aqueles aaaah e ooooh...
(Mas antes de nós irmos a casa dela, passava duas semanas a esconder o material de trabalho - por causa dos nossos filhos)

abrunho disse...

É mais sessoes particulares entre amigos, de filmes apanhados na net.

Especializacao na traducao de filmes pornograficos? Esse parece um emprego inventado para uma personagem de uma comédia. Mas existindo e' um daqueles bons empregos, faceis, provavelmente em sistema de freelance e se calhar ate' a ganhar bem. Anos-luz de ser uma "fluffer". Isso e'que e' um mau emprego na industria da pornografia.

Helena disse...

Ora pensa bem: tu gostavas de passar o teu dia inteiro, inteiro, inteiro, a ver sempre as mesmas parvoíces?
Ele toca à campainha, ela abre a porta, próxima cena: sofá.
E mais do mesmo.
E sempre mais do mesmo.

Deviam ter uma taxa extra qualquer, como o pessoal que trabalha nas linhas de montagem dos carros, para indemnizar a estupidificação...
;-)

abrunho disse...

Presumo que o natural desejo sexual também fique um bocado amolgado. Pergunto-me como é que será com os ginecologistas...

;-)

Helena disse...

Prefiro nem saber...

;-)