segunda-feira

Big-Blog (uma grande opiniao, que vos deve dar prá hora do almoço)

Vejo de vez em quando afirmaçoes de hiper-importancia da blogosfera na antítese aos media escritos. Como se fossem substitui-los. Isto seria possível se os media forem tao estupidos (e digamos que é isso que andam a demonstrar) que deixem de oferecer algo que a blogosfera oferece pouco: qualidade. A blogosfera é cacarejo. É divertido, mas corococo.

Além disso, num momento em que uma pessoa é famosa, aplaudida e na escala de sucesso da actualidade, é um expoente público com base em absolutamente nada, veem-se pessoas que realmente sabem e/ou fazem serem desprezadas nessa sua qualidade, como se o que estivesse a dar nos dias de hoje é ser somente imagem ou como se a opiniao de todos em tudo tivesse o mesmo valor. Nao tem. Há um desprezo pelo especialista num ramo do saber, como se quem sabe fosse uma elite e as elites sao um perigo para a democracia. Só que há democracia e meritocracia e esta última precisa de existir para nao entrarmos numa sociedade da parvalheira. Além disso, a própria democacracia melhora se houver alguém que realmente sabe alguma coisa, porque senao é o reino das galinhas: cacarejam e nao dizem nada. Mas anotemos uma ironia imbecil: a contrataçao pelos media de galinhas. Pessoas que tem opinioes em tudo. Isto é impossivel, a nao ser para as galinhas. E é aqui que os media resvalam para a blogosfera e poderao ser ultrapassadas por ela. Porque sao tao maus que mais vale ler a blogosfera! Quer dizer, muito pessoal escreve na blogosfera e escreve nos jornais e fala nas televisoes. Este pessoal nao tem tempo para mais nada senao cagar opinioes!

Contudo, ainda é pior! Para além dos jornais serem mais de metade opiniao, os artigos já nao respeitam aquilo que aprendemos na escola do quem, onde, como, quando. Lá aparece sorrateiramente o penso eu de que. Vamos por as coisas no seu lugar: EU NAO QUERO SABER O QUE OS JORNALISTAS PENSAM. SE ELES QUEREM DIZER O QUE PENSAM QUE FAÇAM UM BLOGUE.

E esta praga do opinianismo alastra-se! Os juízes do Supremo arrogam-se a capacidade de opinar sobre a psicologia do sofrimento, a psicologia educativa, a psicologia da mini-saia no predador-macho, definirem relativismos nisto e nisto basearem sentenças! (Para além que pelas suas opinioes (e isto obviamente é a minha opiniao) já cá andavam quando moisés dividiu o mar vermelho!).

Vejo um fenómeno interessante na blogosfera, que é o lamento de haver blogues da primeira liga (como dizem), como se muitos deles o fossem nao só porque os seus autores sao famosos para lá da blogosfera, mas alguns deles, sao-no porque fazem e escrevem coisas com qualidade (nem que seja qualidade blogosférica). É preciso pensar nesses filtros. Contudo, conceda-se que há pessoal instalado, bastante capaz numa área, a mandar bitaites professorais (e é esta pretensao-pavao que eu acho desonesta) onde nao sabem nada, simplesmente empoleirados na sua fama. Mas nós temos de avaliar de onde saiem as palavras, o que vale quem diz no que fala. E relativizar muito.

Na blogosfera, todos tem opiniao sobre tudo e acham-se no direito de exigir que os outros deem valor ao que escrevem porque está escrito, ainda que como opiniao, o seu valor depende da sua base. Mas, dizem eles, praga das pragas, que quem nao lhes dá atençao é porque é parvo, vendido, nao vemos os inconformistas, os reformadores, os cristos, os profetas, a luz! (Isto lembrou-me "A vida de Brian" dos Monthy Phyton...). Desculpem amigos, o messias já cá esteve e andou. Um pouco de humildade, s'il vous plait. A vossa opiniao, sem mais, tem a importancia que eu lhe dou e eu, e isto é a minha opiniao, nao sou parva.

Uma opiniao é livre, mas para acedermos a algo mais que um monte de palavras que se enfiam em regras gramaticais, com umas ideiazitas por baixo (até o padre da Banheira-de-Cima tem ideiazitas), é preciso mais que somente a capacidade de juntar palavras. Deveriamos poder vislumbrar saber e é esse saber que dá valor a uma opiniao para lá do momentaneo, do conversacional, do social de todos os dias, que antes ficava perdido no ar e que agora fica escrito nos computadores que dao forma 'a internet. Mas ainda que escrito, provavelmente vale menos que nada. Alguém com saber na base da sua opiniao, constrói nao só uma opiniao, mas uma estrutura racional que desagua num horizonte largo em que quem leu progrediu em saber. Saimos do universo das sensibilidades e superficialidades. Os nossos postes sao conversa, a nao ser que haja substancia por baixo. Para sermos verdadeiros á natureza do que é a blogosfera, todos nós deveriamos 99.9999999% fazer exactamente o que o maradona faz: apagar e sermos honestos relativamente 'a efemeridade e banalidade do que escrevemos. Isto é tudo um imenso e divertido cocorococo. Os media deveriam compreender isto, deixar a blogosfera de lado e darem-nos a qualidade de que necessitamos. Senao que anotem que a sua desvalorizaçao nao se deve 'a blogosfera, mas ao facto de serem blogosfera num formato que nao se adequa 'a blogosfera. A tristeza é que acabaremos esmilhafrados num Big-Blog.

Concluindo: isto é conversa de café e muito, muito raramente chega alguém com algo que valesse a pena ficar registado. Lixo, lixo, que se impregna nos átomos. Por isso, párem de narcisismos bacocos, jornais párem de nos importar (ó lástima, ó mundo, o joao miranda a opinar em papel, o maior googlador depois do próprio john google!), que eu sou condessa e me poem tensa.

11 comentários:

sabine disse...

Ena, tens de escrever mais textos destes! ;)

José Júlio Amarante dos disse...

A situação tambem não é assim tão grave, antes da blogosfera já andavam nos jornais colaboradores de pouca qualidade, a blogosfera é interessante mas nem vai salvar a civilização nem a vai perder. E dá contributos válidos. Se eu fosse o papa João Paulo II diria: não tenhais medo!

abrunho disse...

A blogosfera é o que é, com os seus positivos e negativos, mas é enorme e uma pessoa escolhe o que lhe parece mais válido e interessante.

Contudo, a imprensa escrita nao é assim tao vasta e cada dia se torna pior. Um dia destes é só lixo. E em vez de melhorar, de quem decide os jornais se dar conta do que é preciso, de que necessitamos de noticias que nao sejam fait-divers, de reportagens de fundo, de pessoas sabedoras a darem opinioes profundas, de entrevistadores inteligentes a entrevistarem pessoas inteligentes, temos a blogosferizacao da imprensa. Nós nao precisamos que tudo se transforme em blogue! Já há blogosfera. Já há pessoas a opinar sem saber. Já há pessoas a dizer a primeira coisa que lhe vem 'a testa, a usar a pretensa lógica do senso-comum. O que precisamos é algo mais, mais do que escrever para encher páginas, mais do que escrever porque sim.

É isto que eu digo. A superficialidade da imprensa é acabrunhante. O lixo que se vende é repulsivo. Quando a televisao se tornou intragavel eu nao me importei. Mas começo a entrar em panico quando é a imprensa escrita. Nao quero ser profeta da desgraça, mas isto parece dirigir-se para a completa parvalheira.

José Rui disse...

Concordo bastante com este texto. Claro que está no teu estilo mais agreste -- algo que não existia nos primórdios.
Mas nem tudo é galinheiro -- já sabes disso também.
Eu, ahem, já aqui há uns tempos tinha de certa forma alertado para esta situação num texto que foi publicado no Abrupto. A "blogosfera" que tem a mania que é boa, já anda há muito tempo em bicos de pés a ver se a imprensa tradicional repara nela.
O ridículo é que os jornais lhes têm feito a vontade, como dizes, sem valor acrescentado praticamente nenhum.
A minha explicação também é simples: À boa maneira portuguesa os jornais perderam o comboio tecnológico (outro texto publicado no Abrupto) e acham que o vão apanhar indo à blogosfera visível (ia dizendo risível) buscar avisadas opiniões sobre tudo e sobre nada. Puro engano.
No entanto, nota que o dono do New York Times disse que não sabe se daqui a cinco anos está a imprimir jornais -- passe o exagero, é bem capaz de acontecer algo do género.

abrunho disse...

Outra pessoa a dizer que mudei de estilo? Este é um estilo tao depurado que só o uso em caso de profunda irritaçao.

Luis disse...

Olha lá que ainda me estás a dever o post da OTA ...

abrunho disse...

Tu já te deste conta do trabalho que eu teria para opinar sobre a OTA? Sinceramente, nao me apetece ler estudos sobre a localizaçao do novo aeroporto de Lisboa. Nao me motiva as glandulas postulares.

Luis disse...

E se for sobre a OPA do Berardo à Benfica SAD?

abrunho disse...

Oh, sim, realmente, futebol de bancada interessa-me muito mais. Nao queres uma biografia da Catarina Furtado?

Luis disse...

lol, vê lá é se deixas de postar cus!

abrunho disse...

ai essa inveja...