quarta-feira

Quem ganha com a G8

Há três características imediatamente detectáveis na polícia de choque alemã:

1) parecem chocantemente profissionais;

2) parecem mais militares que polícias;

3) parece que estão muito mal-dispostos e que nos odeiam as tripas.

Isto é: metem medo. Uma pessoa até pensa que alguém foi mal informado. Nós ali, uns pelintras com uns cartazes, mais parece passeio de sábado de manhã e estão ali aqueles brutamontes com cacetetes e escudos e pistolas (tenho fé que não verdadeiras, verdadeiras) e uns veículos que parecem tanques de guerra, mas esguicham água e mais uns autocarros com ar de nos irem levar para algum torturador. Se isto não fosse a Europa, eu acho que a primeira vez que vi aquela malta borrava-me de medo. Mas isto é a Europa, portanto eles não nos vão fazer mal, pois não?

O problema é que não há manifestações suficientes e aquela malta está entediada. Além disso, os tais tanques devem ter custado uma pipa de massa e eles têm que cobrir os custos. Portanto, isto até pode ser a Europa, mas aqueles gajos vão tentar provocar, vão-nos encurralar e tentar manipular-nos e, se tentarmos sair uma passada do que eles querem, vão-nos esguichar e geralmente não há cacetada, que nós somos gente pacífica, se não não tão parvos que queiramos andar à batatada com pessoal que em pequenino sonhou ser rambo e acabou naquilo. A manifestação acaba por ser um exercício de cães-pastor a brincar com as ovelhas e a guiá-las para uma das estações principais.

Isto é a polícia de choque alemã com uma manifestaçãozeca de sábado de manhã. Por isso não é de espantar o que acontece agora no G8. Veio malta de tudo o que é sítio, com ideias mais férreas de manifestação, que nem de provocação precisam e têm-se as imagens das ovelhas negras para os jornais. Não as ovelhas brancas que a maior parte de nós é. As negras é que são escolhidas para a foto da semana.

Há pouco mais de uma semana, parece ter havido já uma reunião preparatória aqui em Hamburgo. Eu soube porque havia barreiras policiais por tudo o que era sítio. Eu não vi nenhum manifestante, mas vi dezenas de carros de choque e tanques de água, tudo a abarrotar de polícias-brutamontes-andacáquetedigo, com as suas pistolas e cacetetes e escudos e trombas. E as putas das barreiras, que eu um dia em que vinha para casa de bicicleta, andei às voltas no centro e estava a ver que não achava a saída ao labirinto! É um exagero. Só a polícia de choque em Hamburgo tem quantitativos suficientes para dar cabo dos taliban no Afeganistão. Uma coisa é praticamente certa: os polícias-brutamontes-trombudos mal souberam que ia haver G8 na Alemanha devem ter-se-lhes entesado os cacetetes. Aqui em Hamburgo puderam deixar-se, por uns tempos, de esguichar os fãs do Sankt-Pauli (a equipa B de Hamburgo) quando saiem demasiado felizes do Estádio de futebol. Devem ter pensado para as suas pistolas de brincadeirinha: finalmente uma merda a sério.

Enquanto isso, na G8 propriamente dita:

2 comentários:

Luis disse...

Eu não sei se é da minha matriz de leitura mas tu andas a escrever com um estilo diferente ...

Anónimo disse...

esse gajos com cara de ( . ) podem mesmo deixar a nossa num 8-(