quarta-feira

A ressacar

Estou ressacada de viagem. Sempre que faço uma viagem de avião há uma sessão no tribunal da minha consciência onde sou obrigada a provar a necessidade absoluta de ter imposto ao meu corpo as horríveis posições, as horas de espera, a sensação de vaquice que me submete no aeroporto onde cordas limitam os movimentos da manada, que é tocada, prescrutada, conduzida a manjedouras duty free, vai pastando nas alcatifas esperando o momento de ser conduzida ao pequeno espaço onde felizmente sou suficientemente pequena para caber, onde a maior felicidade que poderia haver era trazerem-nos comida em caixinhas e em talheres pequeninos e em copinhos, pelo que podemos fazer de conta que tornamos a ter cinco anos e estamos a brincar ao chá das cinco com o puto do vizinho, mesmo antes de irmos atirar lama a uma casa a fazer de conta que somos construtores civis. Mas agora nem esse pequeno momento temos. Agora é só o desconforto e se formos na Ryanair podemos ter o surpreendente desprazer de ao tentarmos dormitar um pouco, sermos acordados com publicidade em duas línguas. Li num jornal que antigamente viajar era uma excitaçao. Acho que me lembro vagamente, por entre as dores de costas.

2 comentários:

Helena disse...

a terceira classe no titanic «e que era...
;-)

foste de economic class para a Austrália, ou quê?

abrunho disse...

Os meus ossos não gostam de aviões. Os meus nervos detestam aeroportos e detestam agora também a Ryanair (publicidade sonora no avião!). Entre os dois vingaram-se no resto de mim.